segunda-feira, 20 de junho de 2011

A inteligência emocional das crianças


A inteligência emocional das crianças


A educação dos filhos é a maior responsabilidade que os pais têm a seu cargo, sendo que a sua tarefa é formar "adultos" e não crianças



Pode parecer "ingrato", pois todos os pais têm apenas uma oportunidade na vida de educar bem cada um dos seus filhos, convém pois que a aproveitem e proporcionem aos seus filhos a melhor educação possível. Uma educação adequada passa também por uma vivência adequada das emoções, e hoje em dia nos campos da Psicologia, fala-se não só do tradicional “QI” –Quociente de Inteligência, mas também no “QE” – Quociente Emocional de cada criança.
As crianças além do seu património genético, são fruto do meio que as rodeia e das relações que estabelecem com outras pessoas que não os pais, por isso, quando falamos em formação de emoções na criança, devemos olhar para todos os meios em que a criança se insere, todas as pessoas com quem se cruza, todas as imagens que vê… Tudo o que gira à sua volta! Contudo o papel dos pais é determinante no desenvolvimento da inteligência emocional dos filhos, acreditando que são eles os primeiros e principais educadores das crianças, eles são de facto elementos “chave” no que diz respeito ao carácter emocional dos filhos.
A educação dos filhos é a maior responsabilidade que os pais têm a seu cargo, sendo que a sua tarefa é formar "adultos" e não crianças, devem desde cedo apostar em mostrar aos filhos as realidades emocionais com que a vida a todos confronta, mais tarde ou mais cedo. Isto faz-se, claro está, aproveitando muito os momentos que surgem na dinâmica diária da família, nos acontecimentos familiares, e nunca forçando situações ou conversas sem fundamento.

"O papel dos pais é determinante no desenvolvimento da inteligência emocional dos filhos"

Aprender a lidar com os sentimentos
Os pais devem, desde cedo, ajudar as crianças a lidar com os sentimentos e a entender as "nuances" com que a vida as surpreende. E como podem os pais fazê-lo? Como se processam estas coisas tão importantes com as crianças?
Questões como: – Porque ficamos tristes? O que nos deve dar alegria? Como devemos reagir perante a dor? Porque sofre o nosso coração? São temáticas dentro da inteligência emocional dos mais pequenos com as quais temos o dever de nos preocupar… Como passamos nós estas respostas aos nossos filhos?
Bom, em primeiro lugar, passamos as respostas pelo exemplo, pelo exemplo que nós pais damos aos nossos filhos e pelos exemplos que proporcionamos que eles vejam dados por outros. As crianças imitam com satisfação os pais e outros adultos, e agem segundo os exemplos que observam com mais frequência. Em segundo lugar passamos estas coisas pela prática dirigida, ou seja, por aquilo que as crianças são levadas a fazer uma e outra vez pelos pais repetidamente, até apreenderem um determinado comportamento. Em terceiro lugar, mas não menos importante, as crianças também apreendem através da explicação verbal que lhes é dada, pois as palavras também são muito importantes na transmissão de emoções, sendo o diálogo fundamental em qualquer família, em qualquer circunstância.

“ A aprendizagem emocional começa na barriga da mãe, nos primeiros momentos de vida do bebé e continua ao longo de toda a vida”

"Graças aos nossos filhos, também nós podemos (e devemos) aperfeiçoar o nosso carácter e engrandecer o nosso coração"

"Pessoas exemplo"
Para sermos bons pais, como certamente já constataram, temos efectivamente de ser pessoas melhores, devemos esforçar-nos por isso, por ser "pessoas exemplo" – exemplares. Portanto, graças aos nossos filhos, também nós podemos (e devemos) aperfeiçoar o nosso carácter e engrandecer o nosso coração, (os filhos podem de facto ser muito educativos para os pais).
Perante as perturbações emocionais dos filhos, os pais podem agir de diversas formas, sendo que o ignorar completamente os sentimentos das crianças nunca é uma boa opção. Outro risco que os pais não podem correr é ser demasiado permissivos, tentando apaziguar a criança mas sem a ajudar a encontrar soluções para o seu problema. O mais adequado será sempre tirar proveito da situação de perturbação emocional da criança, tentando entender o que está a perturbar a criança e porquê, ajudando a encontrar formas positivas de acalmar e controlar as suas emoções. É importante que se explique à criança que há diferentes tipos de tristeza, pode estar-se triste porque um amigo não quer brincar connosco, mas também se pode estar triste porque morreu um avô… e o que se sente é diferente. A aprendizagem emocional começa na barriga da mãe, nos primeiros momentos de vida do bebé e continua ao longo de toda a vida, sendo que na infância a plasticidade cerebral é maior e portanto é ai que a criança forma o núcleo das suas perspectivas e capacidades emocionais.
Todas as pequenas trocas entre pais e filhos possuem uma legenda emocional, e são importantíssimas para a formação deste núcleo de emoções que vai ser decisivo na formação da personalidade da criança.

"As crianças imitam com satisfação os pais e outros adultos, e agem segundo os exemplos que observam com mais frequência"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário